A Melhor Opção


Os alimentos trangénicos são organismos geneticamente modificados, essa modificação é possível através a engenharia genética. As vantagens é que são resistentes a insetos e pragas, adaptam se a diferentes climas, são mais produtivos e incorporam substâncias que auxiliam no combate à obesidade, ao colesterol alto e outros. Mas no entanto estes alimentos têm uma forte possibilidade de causar doenças como o cancro, alergia, além de aumentar a resistência contra agrotóxicos e antibióticos. Na natureza, empobrecem a biodiversidade e exterminam abelhas, minhocas e outros animais, além de espécies de plantas, também desenvolvem ervas daninhas resistentes. O Brasil é o terceiro maior produtor de transgénicos do mundo. É preciso tomar medidas, para uma escolha mais saudavel, benefica para os produtos e para o ambiente!
O Ministério da Agricultura brasileiro publicou uma brochura de divulgação da agricultura biológica onde tem duas frases simples, objectivas e pacíficas sobre transgénicos: "O agricultor orgânico não cultiva transgênicos porque não quer colocar em risco a diversidade de variedades que existem na natureza. Transgênicos são plantas e animais onde o homem coloca genes tomados de outras espécies." assim basta procurar por este selo nos alimentos desejados.
Se quiserem mais informações : www.stopogm.net

A Nova Era dos Combustíveis


Cientistas estão a transformar sobras agricolas, madeira e gramíneas de rápido crescimento em biocombustíveis!!

A dependência pelo petróleo que cada vez mais se faz sentir põe em risco a segurança nacional, económica e ambiental dos países. Biocombustíveis produzidos de partes não comestíveis de plantas são uma alternativa benéfica para o ambiente e de maior viabilidade técnica. Estes bicombustíveis podem ser produzidos a partir de qualquer coisa que é ou já foi vegetal.

No brasil a melhor opção é a cana-de-açucar, no entanto os biocombustíveis de primeira geração, etanol, não são viáveis a longo prazo. Não existem terras cultiváveis suficientes para produzir esses biocombustíveis. A produção destas matérias primas encarece o preço da alimentação animal e certos produtos alimentícios!

Os biocombustíveis de segunda geração, gasolina de capim, podem evitar estes problemas! Este pode ser produzido atraves de resíduos de madeira: sobras de construção civil; resíduos agrícolas: talos de milho, palha de trigo ou de “culturas energéticas” de gramíneas de crescimento rápido e plantas lenhosas cultivadas como matéria prima para esta gasolina - estas podem crescer em solos pouco ferteís e recuperar solos poluídos por efluentes ou metais pesados, a medida que crescem. As matérias primas são baratas, abundantes e não interferem com a produção de alimentos.

Esta área de pesquisa ainda e recente, no entanto ja existem fabricas –piloto e as primeiras refinarias comerciais deverão ficar prontas em 2011.